quarta-feira, 2 de abril de 2014

Anemia: um alerta para gestantes e crianças

anemia um alerta em gestantes e criancasA anemia parece ser tão comum entre crianças e gestantes que as pessoas quase não se preocupam ou não dão a devida importância para ela. Isso é um grande equívoco. A anemia pode trazer sérios riscos para a saúde e é atualmente considerada um grave problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 25% da população mundial tem anemia, sendo maior a prevalência em gestantes (41,8%) e crianças menores de 60 meses (47,4%). Dada a importância da doença no mundo, diversos países conduzem intervenções para reduzir a anemia, particularmente nos grupos mais propensos, que incluem as mulheres grávidas e as crianças na primeira infância (OMS, 2001, 2008).

Como a Pastoral da Criança faz

A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS) de base populacional, realizada pelo Ministério da Saúde em 2009, encontrou 20,9% de prevalência de anemia em menores de 5 anos, sendo maior (24,1%) em crianças de 6 a 23 meses. Já outro estudo realizado no Brasil, em 2010, por Vieira e Ferreira, verificou uma prevalência maior, variando de 35 a 68,8% nesta faixa etária. A maior prevalência encontrada foi em crianças de até 24 meses de idade e isto pode ser explicado pela alta necessidade de ferro para suprir a demanda durante a fase de maior velocidade de crescimento; pelo baixo consumo de alimentos com fontes de ferro; e pelo alto consumo de alimentos que dificultam a absorção do ferro pelo organismo da criança, como, por exemplo, chás e leite de vaca .
O leite materno pode fornecer a quantidade adequada de ferro até os seis meses de vida da criança, porém a introdução de alimentos complementares , se não forem alimentos ricos em ferro, pode contribuir para o surgimento da anemia em bebês e crianças.

Causas

Os sinais e sintomas da carência de ferro são inespecíficos, necessitando-se de exames laboratoriais, de sangue, para que seja confirmado o diagnóstico de Anemia Ferropriva. Os principais sinais e sintomas são: fadiga generalizada, falta de apetite, palidez de pele e mucosas (parte interna do olho, gengivas), menor disposição para atividades, dificuldade de aprendizagem nas crianças, apatia (crianças muito "paradas").
Mas por que aparece essa deficiência de ferro? As causas da anemia por falta de ferro no organismo podem ser diversas. As mais comuns são:
• ingestão insuficiente de alimentos ricos em ferro ou consumo de alimentos em quantidades insuficientes, levando a uma ingestão também insuficiente de ferro.
• Baixo consumo de alimentos de origem animal. O ferro originado de alimentos de origem animal (carnes e miúdos, por exemplo) é muito melhor aproveitado pelo nosso organismo do que aquele de origem vegetal. Por isso, é importante ter uma alimentação que contenha alimentos de origem animal e vegetal, principalmente para aqueles indivíduos que apresentam uma necessidade aumentada desse nutriente - crianças em fase de crescimento, adolescentes, gestantes, lactantes e indivíduos que exercem atividade física intensa.
• Falta de saneamento básico: o saneamento básico (água limpa e tratada, destino adequado para o esgoto e para o lixo) é uma das medidas mais importantes para evitar as parasitoses (doenças causadas por vermes). As parasitoses podem causar anemia ferropriva ou agravar a deficiência de ferro, especialmente nas crianças.

infograficoa anemia no e no brasil em gestantes e em criancas
Infográfico: Bruna Corso

Ações

SAIBA MAIS

O ferro é um mineral essencial ao organismo, apresentando diversas funções importantes. Por isso, esforços em diferentes esferas, vêm sendo efetuados como tentativa de reduzir a prevalência de anemia. Dentre eles se pode citar: a fortificação de farinhas com ácido fólico e ferro e a suplementação profilática com sulfato ferroso para gestantes e crianças menores de 18 meses. Além disso, diversos programas de educação nutricional, que enfatizam uma alimentação adequada e saudável, estão sendo implantados em todo o país.
A Pastoral da Criança, através de seus líderes, orienta as famílias e gestantes sobre a importância de prevenir a anemia. Com ações simples, que vão desde o cultivo de hortas caseiras e comunitárias até a adoção de uma alimentação saudável, os líderes estão conseguindo mudar a realidade nutricional de muitas famílias e, com isso, prevenir eficazmente a anemia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário