quarta-feira, 2 de abril de 2014

Atualmente, muito se fala em valores e motivação das crianças para as atitudes construtivas. Mas como isso se dá na prática? Um coisa é certa: quando se trata de educação de crianças, principalmente os bons exemplos falam mais alto!Repassar as noções de valores, hábitos saudáveis e atitudes construtivas para crianças demandam muita dedicação e empenho. Sempre com respeito e diálogo.

Como a Pastoral da Criança faz

Os resultados são muito positivos, desde que os pais ou outros familiares, também façam o que ensinam. Nesse processo, coerência é fundamental. Não adianta cobrar da criança boas atitudes, quando ela muitas vezes, na prática, vê o contrário disso.

Dificuldades

No convívio familiar, algumas atitudes podem prejudicar uma relação saudável e construtiva com as crianças. Fique atento a elas:

Ausência:

Nunca estar disponível para brincar, conversar, escutar ou passear com as crianças pode passar a ideia de que a criança não é valorizada ou de que não se tem tempo para ela. Por isso, organize em casa atividades que estimulem o convívio familiar, como a leitura e brincadeiras em grupo. Participar da vida da criança é fundamental. 

lider-brincando-com-criancaCríticas:

Muitas vezes as crianças tem comportamentos que não são os esperados por parte dos pais ou familiares. Quando a criança fizer algo assim, procure começar valorizando as atitudes boas da criança e depois critique o que ela fez, dando alternativas para ela para remediar o que fez. As críticas fazem parte da educação, mas devem ser construtivas.

Ambiente hostil:

Viver em uma casa em que os pais, ou familiares, vivem brigando é muito prejudicial, ao ponto das crianças verem os conflitos como parte da vida familiar. Em um ambiente de paz e harmonia, as crianças crescem mais confiantes e felizes.

Desconfiança:

Ouça os seus filhos e demonstre sua crença no que eles dizem. Mas, para isso, promova uma conversa aberta para que eles se sintam à vontade para confiar também em você. Não minta para as crianças, porque além de não estar dando um bom exemplo, a mentira quebra os laços de confiança estabelecidos.

Compensação material:

Não tente dar presentes em excesso, cedendo a qualquer pedido, para se sentir melhor. Além de enfraquecer a relação, as crianças não aprendem o valor do dinheiro e se acostumam a querer cada vez mais. Lembre-se: atenção e carinho são presentes que duram a vida toda.

Falta de limites, disciplina:

Muitos pais acreditam que dar liberdade total às crianças ajuda a manter o convívio mais “amigável” e as crianças mais felizes. Mas as crianças precisam aprender a ter limites. Muitas vezes elas se excedem para “chamar atenção” ou para reclamar uma necessidade que não foi atendida. É aí que o diálogo entra em ação. Nunca, nunca mesmo, use de violência. Quem pensa que para impor limites nas crianças é preciso utilizar umas “palmadas inofensivas”, ainda não compreendeu o dano psicológico e comportamental que está provocando nas crianças. Crianças aprendem do exemplo dos adultos e “repetem”, às vezes com mais ênfase, a atitude deles. É como diz o velho ditado: violência só atrai mais violência. Lembre-se: o afeto é o melhor caminho para educar seu filho!

10 Mandamentos para a paz na família

10 mandamentos

As atitudes positivas ajudam a tornar as crianças felizes. Crianças que recebem dos pais estímulos, incentivos e elogios terão melhor desempenho em casa e na escola. Atitudes positivas em crianças começam em casa quando uma criança nasce, contudo, se na medida em que ela vai crescendo, ouve constantemente dizer que ela é estúpida, ela vai perdendo a motivação e a autoestima. Hoje ninguém tem dúvida de que atitudes positivas ajudam as crianças a se desenvolverem melhor.
 marcia-mamede-a-importancia-do-brincar
 Marcia Mamede - Educadora e assistente técnica da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança
E quais são estas atitudes que devemos ter na vida, para que sejamos construtivos, otimistas e assim possamos dar o exemplo para que as crianças cresçam sadias e felizes?
Para entendermos um pouco mais sobre atitudes construtivas com nossas crianças, nossa entrevista é com a Marcia Mamede, educadora e assistente técnica da coordenação nacional da Pastoral da Criança.

Marcia, quais são as atitudes que os pais devem ter com relação às crianças?

A solidariedade, o amor ao próximo, o respeito, a paz. A construção do conhecimento deve ser compartilhada, ninguém sabe mais que o outro. É por meio dessa convivência na comunidade, com os grupos e nas redes, que tem no lugar que a pessoa vive, que ela constrói esses valores. Para nós da Pastoral da Criança, esses valores são muito importantes.

Como que durante o pré-natal, na hora do parto, as relações iniciais da mãe e do pai com o bebê, podem interferir no futuro emocional e psicológico da criança?

Essa acolhida por parte do pai, da mãe e da família, já é o começo da construção do modo de ser dessa criança. O médico e os enfermeiros que atendem no pré-natal, já estão ajudando a construir esse ambiente que vai proporcionar um bom desenvolvimento para a criança. Na hora do parto, aquele parto ser o menos agressivo possível, aquele contato direto da criança com a mãe e o pai estar presente, são todos momentos de acolhida, de recepção, de afeto construtivo que já vão ajudando a formar o modo que essa criança vai ser.

“Vamos compartilhar o amor, a sabedoria, o bom senso e a solidariedade, que nós estaremos construindo um mundo melhor para nossas crianças”

Como podemos incentivar atitudes construtivas nas crianças?

O mais importante é agindo com elas, como queremos que elas ajam. Se não querem que ela minta, nós não podemos mentir para ela. Se não queremos que a criança resolva os problemas e as dificuldades na base da violência, nós não podemos resolver com violência.
A criança fez uma coisa que você não gostou, dá um tapa! O que eu estou ensinando para ela, é que quando você tiver uma coisa que você não goste, a violência é um caminho. Se eu menosprezo, se eu caçoo, se eu começo a não dar atenção, eu estou ensinando isso para a criança.

Sabemos que todas as pessoas gostam de receber elogio, parabéns, de serem valorizadas. O elogio tem um grande poder?

O elogio vem reforçando que a gente faça as coisas, que continue tentando o elogio verdadeiro, porque também não pode elogiar algo que não aprovamos, algo que é mentira. O elogio sincero favorece a criança a ter uma imagem positiva dela mesma.

O que você diria para quem ainda pensa que tapas e brigas constantes fazem parte do jeito de educar as crianças.

Quem educa com agressividade, ensina a ser agressivo. A agressividade não é a melhor maneira de educar. Que valores são os nossos? A gente não quer paz, não quer uma comunidade mais harmoniosa, mais amiga, mais solidaria? Então, são esses valores que temos que praticar.

A criança no início da vida é egoísta, como torná-la mais solidaria?

bebê quando ele nasce não entende que ele está separado do corpo da mãe, que cortaram o cordão umbilical. Ele gosta de estar junto do corpo da mãe, e vai se acostumando que existem outras pessoas. O que torna o bebê humano, é conviver com outros seres humanos, e ele vai deixando de pensar que é o centro do mundo. É um aprendizado.

SAIBA MAIS

De inicio ele pega uma coisa e é dele, mesmo que seja do adulto ou de outra criança. Ele não entende isso e tem que ser ensinado. Vamos dando exemplos e mostrando concretamente na vida, o que é meu, o que é do outro, o que eu posso e até onde eu posso decidir. É assim que vamos ensinando a criança a ser menos egoísta, ensinando a conviver.

Estabelecer limites também é necessário?

É importantíssimo, porque limite dá segurança, ajuda na imaginação e a criança que não tem limite, se sente mal cuidada e sente falta de amor.

Como a comunidade pode ajudar as crianças a terem atitudes construtivas?

Tendo as atitudes que nós queremos que as crianças tenham. Uma necessidade importante para a criança é a brincadeira. A comunidade tem que valorizar espaços onde crianças possam brincar, reivindicar um terreno, tentar fazer uma pracinha ou alguma coisa para as crianças brincarem ou pelo menos ficar limpo e seguro. São atitudes construtivas que a comunidade tem, que mostram que a criança é importante, porque elas estão fazendo uma coisa para as crianças, e vão dar exemplo para as crianças que as pessoas devem se preocupar umas com as outras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário