quarta-feira, 28 de maio de 2014

A VIVÊNCIA DA FÉ CRISTÃ NA IGREJA CATOLICA NA FORMA DE PEQUENAS COMUNIDADES.

A VIVÊNCIA DA FÉ CRISTÃ NA IGREJA CATOLICA NA FORMA DE PEQUENAS COMUNIDADES.
                     
             Roberto dos Santos Alves
                                                                                                      

RESUMO: Este artigo apresenta uma proposta de como colocar em prática a os anseios  da Igreja Catolica apostólica Romana fundamentada no concilio Vaticano II e reforçada pelo documento da conferencia Latino americana de Aparecida de 2007, e discutida na 51 (qüinquagésima Primeira) da Assembléia Geral da conferencia nacional dos Bispos do Brasil no que se refere ao Tema comunidade de comunidades uma nova Paróquia, e fundamentado na vasta experiência da Igreja registrada em vários documentos, e como estou terminando o curso de Formação para o Diaconato Permanente da Diocese de Cametá me sinto na responsabilidade de apresentar uma idéia para agilizarmos a implantação e animação das comunidades de nossa diocese, que é o método pequenas comunidades.


PALAVRAS-CHAVE: Pequenas Comunidades, Viver a Fé..

INTRODUÇÃO
            O presente documento pretende ressaltar reflexões sobre questões práticas de como ser eficiente na implantação e animação das pequenas comunidades nas diversas localidades de nossa diocese de Cametá, de maneira simples e adaptável a todas as realidades sem deixar perder o que é essencial como a vida comunitária, o culto a Deus, a vivencia da palavra de Deus, a Comunhão eucarística e a unidade da igreja de Cristo Jesus, com a nossa  Atuação na Fraternidade Secular servos e servas do Cristo Bom Pastor começamos uma experiência a partir de 2011 e nós aqui chamaremos a Proposta de Pequenas comunidades, é pequena do tamanho da necessidade de cada Cristão em viver tudo que a igreja pode oferecer sem precisar de estrutura física e nem da quantidade especifica de pessoas, o Reino de Deus se faz presente em qualquer situação.

CADA FAMÍLIA UMA IGREJA, CADA MEMBRO UM MINISTRO.
 O QUE FAZ DE UMA FAMÍLIA UMA IGREJA?
 "PORQUE ONDE DOIS OU TRÊS ESTÃO REUNIDOS EM MEU NOME, AÍ ESTOU EU NO MEIO DELES". (MT 18,20)

A presença invocada de Cristo com o objetivo de adorá-lo, faz de um lugar um santuário, um templo.

Vamos Trabalhar alguns conceitos populares de Igreja:  1 O edifício,   2 A instituição ,3 A organização , 4 O sistema.

DEFINIÇÃO: DO LATIM ECCLESIA DERIVADO DO GREGO EKKLESÌA SIGNIFICA REUNIÃO, ASSEMBLEIA.


O Novo Testamento fala de muitas igrejas domésticas

“Dia a dia, nos pátios do templo e de casa em casa, nunca paravam de ensinar e proclamar as boas novas de que Jesus é o Cristo”.  Atos 5:42

“Saúda também a Igreja que se reúne em casa”. Romanos 16:5

Para os Cristão dos Primeiros Seculos o assunto estava bem claro, cada lar era uma igreja, é precisamente o que deve acontecer agora em nossos dias.

QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS DA IGREJA DE CRISTO JESUS.?
Una
É uma e com um só pastor, único é o povo de Deus, um só é o Senhor, uma só fé e comum dignidade dos membros e o convite à salvação.
Santa
É santa porque vem de Deus, parte d’Ele e foi salva  pelo próprio Senhor Jesus no gesto de maior amor com a sua morte e ressurreição. E porque é constituída por santos.
Católica
É católica isto é universal, dispersa por todo o mundo com a finalidade de resplandecer para todos os povos a graça do Salvador. 
Apostólica
É apostólica enquanto fundada sobre a palavra e sobre o testemunho dos apóstolos. Que são o Papa, sucessor de São Pedro e os bispos, sucessores dos outros apóstolos garantes da fé. "E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela". (Mt 16,18)
O povo de Deus  No A.T. a comunidade de Israel aparece como o povo temente a Deus, que Deus acompanhou, o povo da Aliança. Mas o Deus da Bíblia não é um Deus racista, segregacionista.
Escolheu o povo hebreu como primeiro interlocutor de um diálogo que viria a estender-se a todos os povos, primeiro destinatário de uma salvação que foi posta ao alcance de todos os homens.

Por isso a Igreja, Povo de Deus, deve reunir em si todos os povos da terra e da história
"Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo". (Mt 28,19)

Paulo escreve em Efésios 4:11-12 que Deus deu dons à liderança da igreja com o propósito de treinar os Batizados para fazerem o serviço cristão. O alvo da liderança, portanto é “preparar o povo de Deus para os serviços Diversos de evangelização, a fim de construir o corpo de Cristo”. João ecoa essa verdade em Apocalipse 1:6 quando diz que Cristo fez de nós um reino de sacerdotes.

“Os leigos também são chamados a participar na ação pastoral da Igreja, primeiro com o testemunho de vida e, em segundo lugar, com ações no campo da evangelização, da vida litúrgica e outras formas de apostolado, segundo as necessidades locais e sob a guia de seus pastores. Para o cumprimento de sua missão, entretanto, se faz necessária ao leigo uma séria formação doutrinal, pastoral, espiritual e um adequado acompanhamento (DA, n. 212)” . “No entanto, seja qual for a sua atuação, o leigo permanece sempre leigo e sua vocação-função principal é sempre a de ser sal e luz do mundo (ChL 15) pelo testemunho da santidade (ChL 16) “Os leigos participam, por força do Batismo e da Crisma, no múnus sacerdotal, profético e régio de Cristo (LG 34-36)” . E é por força destes sacramentos que o leigo torna-se discípulo missionário (DA, n. 213).

A “Nova Evangelização” para Vivencia do Reino de Deus necessita da participação de todo o seu povo. O tempo para que apenas alguns escolhidos façam o trabalho do ministério já passou. Este é, ao contrário, o tempo de confiar no Espírito Santo para agir em todo o Corpo de Cristo.

Na igreja em Pequenas Comunidades, todos os batizados assumem  por força do Batismo e da Crisma, no múnus sacerdotal, profético e régio de Cristo (LG 34-36)” . E é por força destes sacramentos que o leigo torna-se discípulo missionário (DA, n. 213). cada um é encorajado a participar em Pequenas Comunidades e a usar os seus dons espirituais. “Sejam bons administradores dos diferentes dons, que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros” (I Pedro 4:10) Ninguém fica sentado passivamente. Cada um precisa estar envolvido.

O sucesso da igreja em Pequenas Comunidades depende da transformação de pessoas  em  Assumir a missão da Igreja. O Espírito Santo é a força por trás das Pequenas Comunidades nas casas. O alvo são Todas as Pessoas que necessitam de Viver a Fé Cristã e portanto a Pequena Comunidade, faz-nos como os primeiros Cristão Viver o Testemunho de Ser de Cristo Jesus.

O CRISTÃO NA PEQUENA COMUNIDADE EXERCE POR FORÇA DO BATISMO E DA CRISMA, NO MÚNUS SACERDOTAL, PROFÉTICO E RÉGIO DE CRISTO.    (LG 34-36)

QUE SE ESPERA DO MINISTÉRIO DE UMA PEQUENA COMUNIDADE?

      "EU SOU O BOM PASTOR. O BOM PASTOR DÁ A SUA VIDA PELAS OVELHAS". (JO 10,11)

1-Cuidar das ovelhas (Atos 20:28-29).
A Pequena Comunidade visita, aconselha e Reza pelo rebanho doente. Cada membro da Pequena Comunidade é responsável por cuidar da Pequena Comunidade como um pastor cuida do seu rebanho.

2. Conhecer as ovelhas (João 10:14-15)
As Pequenas Comunidades eficazes procuram conhecer cada pessoa que entra na Comunidade.

3. Procurar as ovelhas (Lucas 15:4)
Jesus fala sobre deixar o rebanho de 99 ovelhas para procurar aquela que se perdeu. Sabendo que um mundo dominado pelo Distanciamento da fé onde tudo  está sempre operando contra a santidade nas vidas das Pessoas, os membros da Pequena Comunidade, como um verdadeiro pastor vai atrás da ovelha que deixou de freqüentar a igreja Para formar a Pequena Comunidade e como disse o Papa Francisco: nossa realidade é inversa nós temos apenas uma no aprisco e as 99 estão fora, não podemos nos acosturmar com a idéia de sermos penteadores de uma ovelha, somos pastores de todo o rebanho que está disperso.

4. Alimentar as ovelhas (Salmos 23:1-3)
Nos encontros e Celebrações  da Pequena Comunidade a palavra de Deus sempre tem um lugar central a Eucaristia é o Alimento que sustenta na caminhada rumo ao Reino definitivo. Eles precisam conhecê-la o suficiente para trazer a Comunidade amorosamente à compreensão de como a Bíblia se aplica às suas vidas diárias. Dessa forma, as ovelhas são alimentadas e deixam a reunião e a Celebração do Pequena Comunidade para assumir a missão.

5. Proteger as ovelhas (João 10:10, Efésios 6:12)
O Diabo anda em volta como um leão que ruge, procurando devorar o rebanho de Deus (I Pedro 5:8-9). Na igreja em Pequena Comunidade cada 12 membros, em média, estão sob os cuidados e a orientação de um Ministro da Pequena Comunidade e um auxiliar, que são responsáveis pela proteção do seu rebanho.

6. Estar disposto a multiplicar a liderança
Igrejas em Pequenas Comunidade em crescimento equipam os seus líderes de forma bem-sucedida, usando tanto o trabalho prévio como a Formação contínua. A liderança pastoral na igreja em Pequena Comunidade precisa confiar que o Espírito Santo opera por meio daqueles que desejam servir a Jesus, demonstram entusiasmo e têm um testemunho claro.

MC 6, 34. Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e compadeceu-se dela, porque era como ovelhas que não têm pastor. E começou a ensinar-lhes muitas coisas.

Diante de uma realidade com poucos sacerdotes para acolher os Batizados filhos de Deus membros da Igreja de Jesus Cristo ouvimos o apelo do mestre que manda Mc 6,37. Dai-lhes vós mesmos de comer. E essa missão é para todos os homens e mulheres que através dos Ministérios não ordenados procurando responder às questões que nos servirão de guia a respeito da vocação e missão dos cristãos leigos e leigas.
Entre os discípulos de Cristo, os homens e mulheres que vivem no mundo participam, pelo seu Batismo e pela sua Confirmação, da missão régia, sacerdotal e profética de Nosso Senhor Jesus Cristo. Eles têm como vocação difundir a presença de Cristo no coração da humanidade, para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e aceita por todos os homens” (Decreto do Vaticano II: “Apostolicam Actuositatem” sobre o Apostolado dos Leigos, n. 3).

As prioridades da Diocese de Cametá aprovadas na III assembléia do Povo de Deus foi também adaptadas ao carisma e a missão da Fraternidade Secular Servos e Servas do Cristo Bom Pastor.
1 – A Diocese de Cametá Lugar de Formação e Animação Bíblica da Pastoral.
4- A Diocese de Cametá Lugar de Revitalização e Criação de Novas Comunidades.

Nossa Fraternidade  que tem como missão

      I.        A Formação de leigos nas Sagradas escrituras e Doutrina da Santa Igreja e nos ensinamentos do seu magistério;
    II.        Fundação e animação de comunidades da Igreja católica Romana;
   III.        Fomentar a espiritualidade dos seus membros e demais membros do povo de Deus;
  IV.        Contribuir para o bom êxito da evangelização nas comunidades, pastorais, áreas pastorais, serviços, e movimentos;
   V.        Defendermos a fé católica;
  VI.        Sermos fieis servos e servas testemunhas do amor do Cristo Bom Pastor;
 VII.         Fomentar a evangelização das Famílias, Jovens e Crianças;
VIII.        Realizar missões de acordo com a necessidade e designação do ordinário local;
  IX.        Articular a garantias dos direitos humanos fundamental;
   X.        Realizar obras de Caridade;
  XI.        Viver o espírito missionário, integrados na Pastoral da Igreja local e que se dedicam à evangelização.

 A serviço do Reino de Deus professamos nossa fidelidade a Cristo e à sua Igreja da seguinte praticas:

       § 1º. Os membros das Pequenas comunidade terão como estilo de vida:
      I.        Leitura diária do evangelho;
    II.        Testemunho de vida de um verdadeiro discípulo de Jesus Cristo;
   III.        Fazer da Sua Casa um Santuário Igreja Doméstica.
  IV.        Oração diária em família, comunitária e individual Ofício das Horas. "Orai sem cessar". (1Ts 5,17);
   V.        Estar inserido na vida da comunidade local exercendo ministério dentro de uma pastoral ou movimento da Igreja de Jesus Cristo.
  VI.        Participar da Santa Missa ou Celebração da Palavra de Sua Comunidade;
 VII.        Rezar o Santo Terço Diariamente e ter em Maria a Mãe de Jesus modelo de fidelidade a Jesus Cristo. "Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. (Lc 1,38)
VIII.        Trabalhar para a restauração e santificação das Familiares. ( Porque, quanto a mim, eu e minha casa serviremos o Senhor".) (Js 24,15);
  IX.        Ir em busca daqueles que estão afastados da Igreja de Jesus Cristo;
   X.        Ajudar aqueles que precisam “as ovelhas sem pastor”;
  XI.        Estar em profunda unidade com a Igreja Local sem nunca esquecer que somos Servos e Servas do Cristo Bom Pastor.
 XII.        Ter comunhão com o Bispo, Padres e coordenadores dos Serviços onde estamos inseridos;
XIII.        Ter vida sacramental, batismo, eucaristia, confissão, crisma, o que é próprio do seu estado e condição;
XIV.        Ser missionário que esta é vocação de todo batizado.


Em varias localidades de Nossas paróquia  ainda não tem comunidade católica, precisamos aproveitar nessas localidades e as pessoas simples e que em suas casas juntos com seus visinhos tem coragem de vivenciar essas experiência da pequena comunidade de rezar o circulo bíblico, rezar o terço mariano ou fazer inúmeras manifestações da fé católica e as varias comunidades que ainda precisam se fortalecer criar os os Grupos de Jovens, criar varias pastorais o método pequena comunidade não tem burocracia para ser implantado precisa de Gente que queira viver como discípulos e discípulas de Cristo Jesus, formando comunidades Cristãs, precismos reforçar o sentimento de pertença a Cristo Jesus e a sua Igreja.
"Ouvi então a voz do Senhor que dizia: Quem enviarei eu? E quem irá por nós? Eis-me aqui, disse eu, enviai-me". (Is 6,8)  

Nosso Carisma Fraternal se Fundamenta em: Daí-lhe vós mesmos de comer. Mc 6,37.
Qual missão você vai assumir?
O que precisamos para fazer a missão acontecer?
Planejar é fundamental, definir com a Pequena comunidade o dia e o horário que vai acontecer o encontro fraterno ou a Celebração da Palavra de Deus o a Eucaristia com as varias pequenas comunidades na capela Setorial que chamamos de Capela da Comunidade Cristã.
 E a avaliação do Trabalho?
 Ao avaliar deve-se ter em mente o processo como um todo, e como sempre deu certo não precisamos inventar mais nada, usamos o método ver, julgar, agir avaliar e celebrar que é muito usado pela Pastoral da criança.
A formação da Teológica das pequena comunidade.
 Pelas dificuldades que temos em nossa diocese pelas distancia territoriais em conseguirmos fazer formação com freqüência é necessário que envie para a Escola de formação para leigos algum membro da nossa pequena comunidade que irá nos ajudar na formação dos membros com intuito de facilitar o amadurecimento da fé e o sustento da missão, aqui em Breu Branco-PA, nós nos encontramos toda segunda feira das 19:30 até as 21:00 para estudarmos a sagrada escritura, o catecismo da Igreja católica ou outros documentos da igreja bem como assuntos que achamos necessário aprofundarmos.
Alimento da fé.
A pequena comunidade é parte da Igreja de Cristo Jesus, não podemos esquecer nossa origem e manter com freqüência exercícios de fé como a celebração da palavra de Deus, oração do santo Terço, via sacra, retiros espirituais, adoração eucaristica e quando oportuno receber os sacramentos da confissão e da Eucaristia.
            Todas as questões abordadas são práticas efetivas na Fraternidade Secular Servos e Servas do Cristo bom Pastor, que tem como base física a capela da comunidade são Marcos que fica no Bairro Liberdade em Breu Branco-PA, e nossa pratica pastoral é exercido nos vários serviços e pastorais da Paróquia São Sebastião e algumas localidades que estamos formando pequenas comunidades até agora temos a Santa Helena, São Jorge, Vila maranhense na Estrada do Pitinga e na estrada.


Conclusão

            O presente documento que tem como objetivo maior mostrar que mesmo diante de tantas exigências e dificuldades encontradas na Realidade eclesial não podemos burocratizar a Criação de comunidade sujeitas as estruturas de prédios nem a quantidade de pessoas  é possível ser Cristão e ser igreja e viver a fé como Pequena comunidade de Fé, o tempo exige de todos nós métodos acessíveis a cada realidade devido a reordenamento  habitacional que passa a comunidade humana, uma nova evangelização para pela readaptação de como apresentar as verdades Crsitãs de ontem de hoje e sempre na realidade atual.




REFERÊNCIA
Documento de Aparecida celam, 2007.
Biblia de Jerusalem 6 Edição Editora Paulus, São Paulo  2010.
Estatuto da Fraternidade Secular Servos e Servas do Cristo Bom Pastor.



  


Nenhum comentário:

Postar um comentário